Estou apredendo, esturando, para me sentir útil (Guilherme Schvartz)

Meu pai Hélio, minha mãe Aparecida, que bom, vocês vieram com a esperança de notícias.

Mãe querida, pai, não se preocupem comigo, estou recuperado do acidente ocorrido comigo, estava brincando com o apoio de meu irmão Gabriel, mas não deu certo o resultado…

Vocês perguntam, por que eu fui inventar… O que deu na mina cabeça para inventar a brincadeira… Mas é assim, estava seguro que o apoio dos caixotes não iria dar no que deu, mas sem o jeito de cuidado o pé em contato com o caixote, ele desequilibrou, e assim ele espanou para fora, perdi o apoio necessário e aquilo que era uma encenação de diversão gerou o enforcamento que aí vocês todos estão à par.

Aqui não me falaram em suicídio, pois podem acreditar, eu não tinha qualquer intenção de me prejudicar, e não iria colocar o Gabriel em situação ruim. Foi um acidente mesmo, e peço mãe e pai Hélio que me perdoem pela dor que deixei em vocês, em família, no peito do Gabriel e do Silvio.

Mãe, continua com suas orações para mim, como é bom a sua forma de fé que temos em casa, as suas orações são uma luz que me protege aqui.

Pai Hélio, já estive com você lá no sítio e vi seu olhar distante pesando em mim, peço sua força meu pai, e que voltem para casa mais felizes e mais animados.

Já me disseram que terei mais oportunidades para lhes escrever, que meu canto lá em casa, que lembra o Guilherme, que seja a minha alegria aqui, pela consideração que vocês têm.

Beijo em seu rosto mãe, como retorno de seu beijo em mim.

Pai, solte para fora sua emoção, sua saudade, e cuide de meus irmãos. Compreendo seu silêncio pai, mas sei que vive aí no seu peito um pai preocupado e amoroso.

É o que consigo lhes dizer aqui, e estou aqui não parado, estou aprendendo, estudando, para me sentir útil.

Deixo o meu abraço pedindo a bênção de vocês todas as noites.

O filho saudoso…

GUILHERME SCHVARTZ (14/03/2010, 13 anos)

Mensagem psicografada na Associação Beneficente Espírita Caminheiros do Bem, em Curitiba, no dia 17 de dezembro de 2017, pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

Posted in Destaques, Psicografias