Familiares buscam conforto em cartas para amenizar perdas

Cartas psicografadas trazem alento e confortam famílias que perderam pessoas queridas. Mãe relata como foi receber a carta da filha que morreu há apenas dois meses

Publicado em https://www.diariodoscampos.com.br/noticia/familiares-buscam-conforto-em-cartas-para-amenizar-perdas#.WoA2kWFAaIE.whatsapp no dia 11/02/2018.

A dor da perda, para muitos, é considerada a pior sensação já existente. Ela envolve saudade, angústia, revolta e um vazio que parece nunca acabar. Muitas pessoas buscam tranquilizar todos esses sentimentos através das orações, nas lembranças boas daqueles que se foram e no alento das palavras de conforto. São movimentos que com toda certeza aliviam, mas se todos pudessem fazer um último contato, ouvir palavras de conforto de quem já se foi, seria, quem sabe, o segredo para que todos pudessem seguir em frente sem tantas dores e sofrimentos.

Este é o caso de famílias que foram contempladas recentemente com cartas de entes queridos. O médium Orlando Noronha visitou o distrito de Guaragi no final de janeiro para ministrar palestras e psicografou cartas para famílias que perderam entes. A psicografia, dom de se comunicar com os espíritos, permitiu que Orlando escrevesse cartas para alguns familiares que estavam presentes, aguardando ansiosos por uma mensagem.

Em público, durante o evento, o médium entrou em uma fase de semiconsciência e passou a escrever nas folhas em branco. Nas cartas, estavam palavras de encorajamento daqueles que se foram para os que ainda sofrem com a perda. Este foi o caso da Adriane Petrech que perdeu a filha Mariana, 10 anos, há apenas dois meses, vítima de um problema no coração.

Sem imaginar, a mãe recebeu uma carta da filha para que ela seguisse em frente. “Eu não queria ir naquele dia. Questionava a doutrina e estava muito revoltada com a perda. Foi quando conversei com o Orlando naquele dia, assim que eu cheguei, e então ele me disse que a minha filha estava fervorosa para falar comigo. Mas eu não tinha certeza que receberia uma carta”, lembra.

Durante as leituras, Adriane foi a última a ser chamada pelo médium e disse que não soube descrever a emoção que sentiu. “Eu achava que não daria certo. Chorei muito quando o Orlando me chamou lá na frente. E então ele começou a ler. Nas palavras, a minha filha falava que estava bem, que agora não usava mais o marca-passo e que não sentia mais dores”, disse ela.

Emocionada, a mãe disse ainda que pedia para morrer com a filha. “A minha vida não estava fazendo mais sentido, porque eu dediquei tudo a ela. Mas na carta ela disse que não era para eu pensar assim. Que ela era muito grata por tudo que eu fiz para ela e eu deveria seguir em frente”. Adriane destaca que não teve dúvidas de que era a sua filha naquele momento.

“Ela cita em um momento sobre o celular e o fone de ouvido que ela usava para dormir. Ao final, ela desenha um gatinho e escreve o nome de ‘Meia-noite’. Ele é o gato que adotamos recentemente. Eu não tenho dúvida alguma que era ela ali. Depois desta carta eu posso dizer, com toda a certeza, que estou mais forte e que eu consigo falar sobre este assunto”, diz ela.

As cartas também trouxeram o conforto para outras seis famílias que acompanharam a visita do médium Orlando. Silvana Matos foi contemplada com a carta do filho Caio dos Santos, de apenas 16 anos, que morreu em dezembro do ano passado. O adolescente jogava bola quando sofreu uma parada cardíaca e acabou falecendo.

Na carta, o filho disse que está bem e que foi acolhido pela avó. “Acordei em outro lugar e perguntei de vocês. Me disseram para ficar calmo, que tudo ficaria bem. Estou bem amparado. Avó envia beijos e abraços a todos”, disse os trechos da carta. Confira as cartas psicografadas para outras famílias nos vídeos abaixo.

Emocionada, Adriane mostra carta que recebeu da filha Mariana, que faleceu há dois meses (Foto: Fábio Matavelli)

Entenda a mediunidade

A mediunidade, de acordo com o médium Orlando Noronha, é a faculdade que permite o intercâmbio entre as duas esferas da vida, como por exemplo, a psicografia. “E os médiuns são criaturas comuns, investidos da responsabilidade de servirem de intermediários entre os espíritos e os homens, compreendendo que os espíritos nada mais são do que os próprios homens que viveram no mundo físico, mas que por agora encontram se na vida espiritual, como assim bem definiu Allan Kardec o notável coordenador e codificar do Espiritismo”, explica.

A principal função da mediunidade, segundo Noronha é demonstrar que a vida é imortal. “E que prosseguimos nossa trajetória evolutiva no mundo espiritual, de que o túmulo não é o fim, e sim a porta de acesso ao mundo espiritual, ao qual inevitavelmente todos nós um dia adentraremos, com nossa identidade e personalidade. A partir dai, temos as consequências morais lógicas, de olhar a vida com uma perspectiva mais justa e real”, diz o médium.

A visita ao distrito de Guaragi representou para Orlando , que mora em Wenceslau Braz, uma forma de cooperara com aqueles que estejam vivendo momentos difíceis. “Fomos recebidos com muito desvelo, com muito amor, sem sermos merecedores de tamanho acolhimento”, complementou.

Posted in Destaques, Notícias