Para que haja união é preciso saber ceder (Adriana Cristiane Cubis)

Minha filha Thaisa, Filha,

Estou aqui meu amor, estou aqui com todo o coração aberto, com o papai Nelson, seu avô.

Que bom que você decidiu vir até aqui com este coração aberto para me encontrar.

O vô Nelson, esse batalhador que ajudou para que tudo desse certo.

Mãe, está de pé, com força e nova energia e que superou aquele corpo frágil que aprendeu com o câncer, que pediu tratamento intenso.

Aquelas quimioterapias, aquelas radioterapias, que mexe com a gente, com o nosso psicológico, com a nossa energia física.

Eu também abusei do cigarro, e aí as consequências chegam. A mãe recebeu aqui um outro tratamento, e esse tratamento que recebi aqui foi me fortalecendo, foi me dando mais ânimo, até que fui chegando, não no ideal, cheguei no melhor das minhas condições espirituais.

Mas algo não melhorou ainda. Sabe aquela voz rouca, raspando da mãe?  Ela ainda está, porque sem poder explicar melhor, diz o médico aqui que me atendeu, que as consequências do tabagismo, se mantém com seus reflexos intensos, mas está tudo certo.

A sua mãe está aqui não só para falar de si, mas para pedir união em família, é o que me entristece aqui, vejo como alguns pontos a serem melhorados muito né?

E para que haja união, é preciso saber ceder, ceder não é esperar a atitude do outro.

É a gente dar o primeiro passo até que venha o primeiro passo do outro.

Estarei em preces aqui, para que tudo fique bem.

Quero beijar meus tesouros de vida, a Ingrid, a Thalita, na Janaina, o Alexandre e a Iascara. Abrace eles por mim.

Não esquecerei meus filhos, a mãe tá feliz agora!

ADRIANA CRISTIANE CUBIS (03/05/2017, 51 anos)

Mensagem psicografada na Associação Beneficente Espírita Caminheiros do Bem, em Curitiba, no dia 18 de fevereiro de 2018, pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

 

Posted in Destaques, Psicografias