Sou A Mãe Perto Nos Momentos Possíveis (Terezinha Ostteto Carlindo)

Minha filha Sonia, Lauro,

Aqui me encontro com o papai João, com a alegria da família junto, porque nós sabemos que somos uma grande família.

Não vim falar de mim, da doença, como foi a chegada e tudo mais.

Não é o principal agora, mas resumo, tudo ficou como lição e passado.

Vocês sabem que depois do baque fiquei com vocês o tempo que foi possível e tenho compreendido a tristeza de seus corações, como se uma nuvem negra sem fim tivesse recaído em nossas vidas e em nossos caminhos.

Enquanto estamos aprendendo filha, errar e acertar faz parte da nossa contabilidade.

Mas é com coragem que devemos sempre nos manter dia a dia, porque há um Deus poderoso que vive bem no cantinho de nosso coração esperando que a janela de nossa fé se abra para que a luz dele se faça presente e ilumine.

Sei cada dor sua, sei cada lágrima sua, sei cada pedido seu de socorro, porque sou a mãe perto nos momentos possíveis.

Você vêm recebendo há tempos auxílio e proteção da espiritualidade e não brigue com a vida. Somos nós que depositamos nela nossas ações de um ontem longínquo ou até de ações nesta etapa de vida mesmo.

Sei que você está cansada, sei que muitos projetos não foram para frente como você queria, mas tudo isso filha é lição, por mais dura seja.

Para uma criança esquelética na África, um dedo com uma gota a lhe acariciar os lábios é um oceano.

Releia estas notas que lhe escrevo e seja a nossa palavra aceitação. Mas não aceitação por derrotismo, mas com aquela última gota de nossa esperança.

Beije a Marcela, a Julia e as nossas meninas de ouro, com toda força de sua saudade para comigo.

Descansa não só seu corpo filha, mas seu coração.

Desculpe, porque toda mãe gostaria de fazer muito mais pelos seus filhos, mas todos, sem exceção, estamos vivendo a nossa escola, não é mesmo?

Receba as minhas mãos ao seu lado, acariciando você com o melhor de mim.

Estaremos com você amanhã no médico e confiemos nas melhores decisões.

Com meu abraço a lhe envolver, sou a sua mãe sempre presente…

TEREZINHA OSTTETO CARLINDO (15/06/2012, 76 anos)

Mensagem psicografada na Associação Beneficente Espírita Caminheiros do Bem, em Curitiba, no dia 21 de maio de 2017, pelo médium Orlando Noronha Carneiro.

Posted in Destaques, Psicografias